Como ensinar inglês gratuitamente e ter uma empresa lucrativa: caso de sucesso do portal Você Aprende Agora


Foram dois acidentes quase fatais que serviram de gatilho para a criação de dois canais para quem deseja aprender inglês: Você Aprende Agora e Tú Aprendes Ahora. Felipe Dib iniciou o projeto ainda quando se recuperava do segundo acidente, com a ideia de que o aluno pudesse aprender inglês pela internet e rapidamente possa aplicar nos seus propósitos.

Desde 2011, o portal já ofereceu 17 milhões de aulas para mais de 100 mil alunos em 181 países. Com o objetivo de ser o maior e melhor curso de inglês do mundo, o Você Aprende Agora ganhou o Prêmio Jovens Inspiradores, da Fundação Estudar e Veja, em 2012. Foram 8.000 inscritos de 16 a 30 anos e 5 vencedores.

Estudou Business na universidade de Oxford, Liderança na Georgetown University e MBA em Gestão de Projetos pela University of California, juntos, a bagagem do currículo e o propósito na promoção do serviço impulsionaram o portal: atualmente, conta com uma operação no México para o Tú Aprendes Ahora e outra em Campo Grande (MS) para o Você Aprende Agora. O projeto não tinha fins lucrativos, mas com a adoção do modelo freemium – onde o usuário usufrui do serviço e somente se quiser um recurso extra, como obter um certificado e ter benefícios exclusivos – o negócio começou a rentabilizar, mesmo que todas as aulas ainda continuem sendo gratuitas.

Apoiado pelo NESsT como negócio social, que é uma plataforma de desenvolvimento de negócios sociais sustentáveis em economias de mercado emergentes, o portal recebeu análise de mercado para identificar oportunidades de crescimento no impacto social gerado.Caracterizado como um projeto que visa o impacto social ao promover tecnologia acessível, Você Aprende Agora passou por várias etapas até conquistar o espaço que tem hoje. Entre os dias 16 de junho e 15 de julho de 2016 ele vai percorrer cidades do MS inspirando empreendedores e entusiastas de boas ideias de negócios com a palestra “Startup – Você aprende agora”.

O evento faz parte do ciclo de palestras “Tendências para Empreender” e conta ainda com a palestra “Negócios de impacto social”, com Lígia Oizumi, coordenadora do projeto Negócios de Impacto Social do Sebrae em MS. Acompanhe o cronograma, o evento é gratuito. Confira a entrevista com o idealizador e CEO, Felipe Dib.



Houve um planejamento de negócios para conceber a ideia?
Não. As primeiras 350 aulas foram pagas com um carro que eu tinha. Falei para o produtor que eu não tinha dinheiro e ofereci meu carro (eu ficaria em uma cama sem mexer as pernas por alguns meses). Prefiro estabelecer metas do que fazer um planejamento.


Você já ganhou diversos prêmios, como funciona os preparativos? Você tem um cronograma dos prêmios que gostaria de concorrer? Pois muitas empresas têm potencial para participar de concursos e obterem o reconhecimento dos seus esforços, mas poucas empresas – principalmente micro e pequenas, se candidatam. Exige muito esforço?
Já ganhamos alguns prêmios, é verdade. Mas pode ter certeza que já me inscrevi para dezenas deles! Não tenho cronograma. Se vejo algo que tem a ver com o negócio, faço a inscrição. Em 90% das vezes não passo nem da primeira fase!


Antes das empresas de idiomas, você já tinha projetos de empreender? Já era professor?
Sempre gostei de ter dinheiro e até sofrer aquele acidente em 2011 meu sonho era ser milionário. Por gostar de dinheiro comecei a trabalhar aos 11 anos em um restaurante dos meus pais. Me tornei professor somente aos 17 após concluir o Ensino Médio em uma escola pública na Nova Zelândia. O argumento para ir pra lá veio quando eu reprovei o livro básico de um curso de inglês que eu fazia em Campo Grande. Ao voltar ingressei na graduação em Relações Internacionais e em uma pós graduação em Ensino e Aprendizagem de inglês como aluno convidado. Comecei a ensinar inglês e nunca mais parei. E também continuei estudando porque acredito que professor tem obrigação de estudar. Estudei Business em Oxford, Liderança na Georgetown e em 2015 terminei um MBA em Gestão de Projetos pela University of California.


Uma pesquisa do British Council que estima que 21% da população brasileira está aprendendo inglês de alguma forma, de que maneira estar entre esses 20% abriram portas para sua vida e profissão?
Quem fala inglês no Brasil está à frente de 96% da população daqui que não se comunica em inglês com eficiência! Muitas vezes o escolhido para uma grande oportunidade só está lá porque fala inglês! Muitas vezes é o mais “fraquinho”, mas ele fala inglês.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s