Casos de Sucesso

Turismo rural é aposta de empresários

Tendência de mercado: empresários estão investindo no turismo rural. A necessidade de ter contato com a natureza tem feito muita gente procurar a vida no campo para esfriar a cabeça.

Em Campo Grande, a professora Margareth Melo, quando se separou do marido, recebeu uma fazenda na divisão de bens. Sem dinheiro no bolso e cheia de contas pra pagar, a Margareth tinha duas opções: transformava a fazenda num negocio ou fechava e ia embora.

pequenas

Margareth, formada em pedagogia e turismo, transformou a fazenda num day use – um espaço para o turista passar um dia em contato com a natureza. Para isso, ela teve ajuda do Sebrae e recebeu mais de 100 horas de consultoria. (mais…)

Empresária torna-se referência regional em gastronomia inspirada no Pantanal

gastronomia

Cirlene trouxe da fazenda receitas com sabores únicos

O Pantanal sul-mato-grossense, principalmente nas regiões próximas da divisa com Mato Grosso, é um perfeito exemplo do que se pode chamar de “Brasil profundo”. É uma região onde tempo, espaço e homem se conectam de forma muito peculiar, permeados pela natureza com a fluidez das águas, a vida própria das plantas e a dinâmica única dos bichos. O homem pantaneiro habita quase que outra dimensão no trato com essas forças, produzindo nele uma relação própria com a cultura, o trabalho, os hábitos, a comida, o vestuário… (mais…)

Pai e filha somam esforços para transformar sonho em restaurante mineiro

churrasco

Ary e Élida unidos na gestão do Restaurante Mineiro Malaquias

Se você está com fome, prepare-se. Não será fácil ler esta história e não sair correndo em busca de um restaurante mineiro. Imagine um suculento churrasco assado na brasa, linguiça mineira, carne de sol, quiabo com frango e um abacaxi assado com canela e açúcar. Detalhe: o que não é assado é preparado no fogão a lenha e servido com o carinho e o cuidado de quem recebe cada cliente como se fosse um convidado para o almoço de domingo em família.

Esse lugar é o Restaurante Mineiro Malaquias, no bairro Tarumã, em Campo Grande, resultado da junção de esforços do pai, Ary Malaquias, 62 anos, e da filha Élida Rodrigues, 39 anos. (mais…)

Empresa aposta em picolés naturais de frutos do mato para conquistar clientela

picole

As irmãs Darli e Renata Castro

Como funcionária técnica do Departamento de Tecnologia de Alimentos da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), a química Darli Castro Costa, 57 anos, teve a oportunidade de participar de diversas pesquisas científicas sobre os frutos regionais do Cerrado e do Pantanal, conhecendo as propriedades químicas e os valores nutricionais. Com tal privilégio, desejava empregar esse conhecimento em algo que também pudesse ser apreciado por quem está fora do ambiente acadêmico. (mais…)

Empreendedora transforma momento difícil em força para oferecer serviços

empreendedora

Fabiana encontrou oportunidade para volar a servir serviço de excelência

É compreensível que, para muitas pessoas, a descoberta do câncer pareça o fim da linha e esgote qualquer disposição para colocar em prática novos projetos de vida. Afinal, as incertezas que essa nova realidade traz podem ser devastadoras. Para Fabiana Benites, 37 anos, no entanto, o que ocorreu foi exatamente o contrário, ou seja, a doença trouxe a oportunidade para um recomeço que a levaria à máxima realização profissional. (mais…)

Borracharia do Oscar resiste ao tempo para atender nas horas mais inconvenientes

borrachariaImagine a cena. São quase 20 horas, você volta do trabalho numa noite chuvosa, as ruas estão tomadas pela água e, de repente, uma pancada num buraco do asfalto logo dá a certeza de que se trata de muito mais do que uma roda empenada. Pneu estourado e carro sem condições de seguir viagem. É numa hora dessas que uma profissão da qual quase nunca nos lembramos torna-se a única salvação. Então vem a pergunta: onde encontro uma borracharia? (mais…)

Com jeito de quitanda antiga, sacolão familiar começou com uma bicicleta

Quitanda

Sacolão “Bom Sucesso”: trabalho em família que deu certo

Aos 35 anos, a comerciante Clarice Pereira Martins lembra com carinho e orgulho de quando era criança e acompanhava o pai na venda de verduras de porta em porta na região das Moreninhas, em Campo Grande.

João Pereira Martins, 65 anos, começou a vender hortifrúti de bicicleta há mais de 20 anos e, na época, a sala da própria casa era o local de armazenagem das frutas e verduras compradas todos os dias no Ceasa da capital. (mais…)

Salão de beleza dá exemplo de parcerias que movimentam economia local

salao

Zezé e sua equipe

Já se passaram mais de 28 anos desde o dia em que José Lima Souza Porto cortou o cabelo do filho na banheira em que lhe dava banho, na tentativa de acalmá-lo. “Deu certo e ficou uma maravilha”, diz ele, hoje com 46 anos e conhecido como Zezé. Na verdade, deu tão certo que logo se transformou num negócio que hoje atende homens, mulheres e crianças de todas as idades e oferece praticamente todos os serviços da área de beleza: o Zezé Hair.

“Já viu salão de beleza sem fofoca? Pois é, no Zezé Hair é assim: sem fofoca. São 15 profissionais trabalhando de forma colaborativa para crescer profissionalmente”, afirma Zezé, que trabalha com a esposa e sócia Neuza Osorio, 36 anos. (mais…)

Aos 80 anos, microempreendedor esbanja disposição e paixão pelo trabalho

80 anosAos 80 anos, Nemias Moreira de Souza certamente deixa muita gente jovem envergonhada pela disposição que esbanja e alegria com a qual fala da vida. Aliás, afirma que é gente jovem com toda razão: “Velho é o mundo, que tem muitos milhões de anos. Eu sou muito jovem”.

E quem duvida de alguém que caminha 10 horas sob o sol quente de Campo Grande, carregando nos ombros várias sacolas de panos de prato e toalhas de mesa para vender? Não bastasse isso, ele não perde uma oportunidade de contar a sua história de vida e a de seus livros quando encontra pessoas dispostas a ouvi-las. (mais…)

Pequenos negócios acompanham crescimento de filhos e netos dos clientes

batata lanches-certa

45 anos de existência , o Batata Lanches mantém viva a economia brasileira. (Foto: Divulgação)

Do lado de fora, ladrilhos levemente coloridos e portas de ferro de enrolar. Dentro, banquinhos à meia altura, uma TV ligada, um baleiro sobre o balcão e um papo descontraído com os fregueses.Embora típico de tantos comércios de bairro, o cenário não chega a evidenciar que se trata de um estabelecimento fundado em 1970 para vender batata chips caseira, ainda quando o chão de barro caracterizava a Avenida Bandeirantes, em Campo Grande.

Com 45 anos de existência, mas apenas três anos como lanchonete, o Batata Lanches é um exemplo dos pequenos negócios que sobrevivem e crescem em meio às tantas transformações da economia brasileira ao longo das décadas. (mais…)